segunda-feira, 25 de setembro de 2006

Ode à foda


Não há um só ser no Mundo


Que não fique com tesão:


Uns nascem para foder,


Outros fodidos estão.



É uma Terra danada,


Um paraíso perdido.


Onde meio mundo fode,


E o outro meio é fodido.



Fodem moscas e mosquitos,


Fodem aranha e escorpião,


Fodem pulgas e carrapatos,


Fodem empregadas com patrão.



Os brancos fodem os negros


Com grande consentimento,

Os noivos fodem as noivas


Muito antes do casamento.



General fode Tenente,


Coronel fode Capitão.


E até o presidente


Vive fodendo a nação.



Os frades fodem as freiras,


E o padre o sacristão,


Até na igreja dos crentes


O pastor fode o irmão.



Todos fodem neste mundo


Num capricho derradeiro.


E o danado do Dentista


Fode a mulher do Padeiro.



Parece que a natureza,


Vem a todos nos dizer,


Que vivemos neste mundo,


Somente para foder.



E você, meu nobre amigo,


Que estes versos 'stá a ler,


Se não gostou da poesia,


Lixe-se! Vá-se foder!!!



Autor Desconhecido.


(Também, pudera, se fosse conhecido, tava fodido!!!)

4 comentários:

  1. ......................................................................
    ...................................

    ........... No comments............

    ...................................

    Alguém tem por aí uns lenços, se faxobori?................................................................................................

    ResponderEliminar
  2. fodido e mal pago. eh eh eh.
    bom resto de semana

    ResponderEliminar

Olha, apetece-me moderar outra vez! Rais' partam lá isto!

P.S.: Não sou responsável por aquelas letrinhas e números enfadonhos que pedem aos robots que cá vêem ler-nos.