domingo, 21 de fevereiro de 2016

O Porto é uma cidade velha

Cheia de casas velhas, ruelas estreitas e assustadoras, edifícios devolutos, abandonados, prestes a desabarem e pessoas feias, malcheirosas e andrajosas. "Não sofreu nenhum terramoto", disse um dos meus acompanhantes, cheio de razão.
E no entanto, é uma cidade nova, com um pulsar bem ritmado, com ruas cheias de gente às 10 de manhã de um sábado soalheiro, que percorrem sorrindo e rapidamente, com sacos de compras, mochilas e máquinas fotográficas, as ruas arranjadas, ladeadas de edifícios restaurados, de traços arquitectónicos modernos renovados. Pontes novas e pontes velhas por onde transitam a par as viaturas motorizadas e aquelas de duas rodas com recados (" - um carro na rua", li eu numa bicicleta), barcos e helicópteros a concorrerem com os eléctricos e o funicular.
Não fui à Torre dos Clérigos, mas subi a escadaria da Igreja de Ildefonso (é assim que se chama?) e vislumbrei a torre. Não fui ao Palácio de Cristal mas subi e desci a Avenida dos Aliados, acompanhada de asiáticos e estudantes Erasmus. Imaginei o que já vi na televisão: a área repleta de portistas exuberantes e histéricos. Admirei os azulejos duma estação de comboios, talvez a mais bonita de Portugal, e questionei-me se os andaimes que ladeiam aquele edifício ao lado, que parece ter desabado, são arte ou somente suporte civil.
A manhã portuense não teve ontem a luminosidade da tarde lisboeta de Agosto passado. Mas ofereceu-me um pôr-do-sol deslumbrante enquanto descia a Avenida da Boavista em direção ao mar e apreciava os palacetes de "riquinhos", gente de famílias bem, certamente. Senti o cheiro a maresia e a sardinhas assadas. Atravessei várias pontes, para cá e para lá, subi à Sé e desci à Ribeira e ri-me com a gaivota vaidosa, esta, que fez questão de posar para nós sem qualquer medo e imensa vaidade:



4 comentários:

  1. O Porto é uma nação, digo eu, como boa nortenha!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Maria, eu já considero ser mais do Norte do que do Centro (sou do distrito de Aveiro) e acho - sei, sabemos - que o Norte engloba muito, mas muito mais do que o Porto. :)

      Eliminar
  2. Faltaram-te duas coisas essenciais, uma caminhada matinal pela marginal e um copo noturno nas Galerias. Isso resolve-se com facilidade e de forma barata, é pernoitar num dos muitos Hostels que entretanto abriram. Isto se não o quiseres fazer no Intercontinental, mesmo em frente à Estação de S. Bento, a dos azulejos :)

    A igreja é de Santo Ildefonso e lá encontra-se narrada a origem da expressão "foi um 31", alusiva à revolta de 31 de janeiro de 1891, tida como "o primeiro movimento revolucionário que teve por objectivo a implantação do regime republicano em Portugal" :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ness, não me faltou absolutamente nada, pois a ideia nunca foi pernoitar por lá e sim ir ao Visionarium (O objectivo principal do dia) e já que estávamos na zona dar umas voltas no Porto. :)
      Eu sei o nome da estação. Esta não foi a minha primeira visita, nem segunda, nem terceira. :P

      Gostei, abriu o apetite para mais. Daqui a 1 década ou duas volto aí. :P

      Eliminar

Olha, apetece-me moderar outra vez! Rais' partam lá isto!

P.S.: Não sou responsável por aquelas letrinhas e números enfadonhos que pedem aos robots que cá vêem ler-nos.