terça-feira, 24 de junho de 2014

Final de tarde inesquecível

Um destes dias estava eu a regressar de Aveiro para casa, ao final duma tarde chuvosa e trovejante, e não é que batem no meu carro? Alguém que, naquela zona de pára-arranca, costuma olhar para o retrovisor para verificar se o de trás guarda a distância suficiente. Ela, a pessoa, esqueceu-se de a guardar para o da frente. Caraças, que parecia mesmo que trovejava dentro do carro! E o berro que demos? E a dor de pescoço que se seguiu? E a chuvinha que apanhei à conta de ter que esperar pela seguradora dela, da pessoa? E os olhares dos outros condutores, a apreciarem a traseira que por sinal ficou menos estragada que a dianteira dela, da pessoa? Já não bastava ter visto devolvido o dinheiro dum filme que até estava a gostar de ver, mas que foi interrompido por 3 vezes devido à trovoada local. Tinha mesmo que ser abalroada por trás à chuva! Arre!

5 comentários:

  1. Isso é que é azar...mas não te aleijaste já foi bom!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. SS, não. A dor de pescoço passou depois duma noite bem dormida. :)

      Eliminar
  2. Mas que grande cena Pseudo...
    A mim aconteceu-me o mesmo na Sexta-feira passada, a diferença é que foi em Lisboa e ainda houve uns engraçadinhos que acharam que nós estavamos parados porque queriamos e nos mandavam a uns sitios pouco agradáveis...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tímido, não lhes mostraste o dedo do meio, rapaz? :)

      Eliminar

Olha, apetece-me moderar outra vez! Rais' partam lá isto!

P.S.: Não sou responsável por aquelas letrinhas e números enfadonhos que pedem aos robots que cá vêem ler-nos.