domingo, 14 de julho de 2013

Zekes

Aquela merda assusta. Como qualquer filme de zombies, que não fazem o meu género. Mas lá fomos fazer a vontade ao Mqt, que no fim ainda disse que o filme o tinha desiludido um pouco. Ora esta! Ver montes e montes de Zekes a correrem atrás dos futuros zombies, que irão morder e comer, é simplesmente horripilante. Ver tanta carne andante atrás de carne aparentemente putrefacta e sanguinolenta é macabro. São nojentos, têm tiques e devem ter um mau hálito do caraças. E no fim, já com a solução provisória, ficamos sem saber como é que a desgraça (note-se o eufemismo) começou. E isto não se faz! Impressionou-me a cena em que o Gerry corta o braço da israelita, após pensar no caso dela durante nem sequer um segundo. Não gostei do pormenor americano dele a beber Pepsi, quase no fim. Mania de americanizarem as cenas, bolas!

8 comentários:

  1. Não gostei, ponto!
    É mais do mesmo, apenas com mais tecnologia.
    Não veio acrescentar absolutamente nada.

    ResponderEliminar
  2. Pois, deve ser um bocado isso, sim. Mas eu não sou perita em zombies ou "terrores", logo não posso falar muito.

    ResponderEliminar
  3. Também não achei grande piada....foi....mais um! O pormenor da Pepsi foi estúpido mas nunca pensei que zombies tivesse dentes tão bons!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Liz, não só têm dentes bons como conseguem sobreviver a quedas de aviões e ter as pilhas ligadas mais uns minutitos.

      Eliminar
  4. walking dead. Vale a pena.

    R.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Vi partes de episódios. Não me puxou para mais...

      Eliminar
  5. Nem zombies nem vampiros. No me gusta. Tudo além do clássico Drácula "do antigamente" é pupú

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tb não vou à bola com vampiragem. Coisinha mais enfadonha!

      Eliminar

Olha, apetece-me moderar outra vez! Rais' partam lá isto!

P.S.: Não sou responsável por aquelas letrinhas e números enfadonhos que pedem aos robots que cá vêem ler-nos.