sábado, 29 de dezembro de 2012

Bolas, esqueci-me do título


Ó abóbora quão redonda és
Que vontade de te cortar
E até de te dar com os pés
Antes de te trucidar e retalhar

As tuas estrias dão trabalho
As tuas pevides dão vida
Cortar-te ao borralho
A conversas convida

Bilharacos, doces e geleias
Papas, bolos e tartes
Nem há perigo nas colmeias
E até evita os enfartes

Tu foste o meu jantar
Com a sogra a acompanhar
Que saiu a lambuzar
De tanto enfardar


4 comentários:

  1. Muito bonito! Nem precisa de titulo.

    Grande poeta é o povo
    faz versos sem rimar.
    Ainda ontem me deitei numa cama
    hoje acordei com os pés para o ar.

    Ó lua que vais tão alta
    redonda que nem um tamanco.
    Ó Maria traz a escada
    que eu não chego lá com um banco!

    hehehe...:)

    Bom ano Stôra, o melhor só porque sim.

    ResponderEliminar
  2. AC, obrigada e para ti também, tudo de bom.

    Hoje ainda vou ler Bocage a ver se encontro algo apropriado ao momento :)

    ResponderEliminar
  3. MG, é um vegetal bastante desvalorizado e contudo muito rico, com o qual se podem confeccionar imensas iguarias, como as que indico :)

    ResponderEliminar

Olha, apetece-me moderar outra vez! Rais' partam lá isto!

P.S.: Não sou responsável por aquelas letrinhas e números enfadonhos que pedem aos robots que cá vêem ler-nos.