segunda-feira, 30 de julho de 2012

Provincianos na cidade grande: ainda o dia um

Sim, porque Braga, apesar de ser grande, não é tão "Grande" nem caótica nem mete medo nem tem tantos graffitis. Acho eu.
Mas adiante...
A primeira caminhada, ainda no primeiro dia, ainda no Parque das Nações, foi dada antes e após a visita ao Oceanário, cuja saída, estrategicamente coincidente com uma loja de "souvenirs", foi o nosso primeiro teste: os quatro pais resistiram estoicamente aos ataques persistentes e insistentes das suas crias e não arredaram pé da resposta inicial. Afinal, não é não!
A segunda caminhada foi dada após a entrada no hotel. Ala que já eram cinco da tarde e tínhamos o Metro para apanhar na direcção da Luz. Finalmente, eu e o meu filho iríamos entrar na GRANDE CATEDRAL! Sim, porque os outros cinco já não eram virgens no assunto.
Não gostei deste passeio no Metro, estive sempre preocupada com a minha bolsa e com os miúdos. E se algum deles ficasse com o pé preso naquele ínfimo espacinho entre as portas e a plataforma? Nah, não invejo quem, infelizmente na minha perspectiva, tem de o fazer diariamente. 
Respirei de alívio quando avistámos novamente céu azul por cima das nossas cabeças.
Logo há mais!
(A isto chama-se fazer render o peixe.)

3 comentários:

  1. Não gosto de cidades grandes nem da confusão dos carreiros de formigas do trânsito, nem das grandes distâncias...
    É claro que estou a pensar na perpectiva de morar numa cidade dessas! Para visitar é fixe... porque sempre tem muito que ver! :)
    (eu não me vejo a viver numa cidade maior do que aquela em que nós vivemos)

    ResponderEliminar
  2. Eu ando a estranhar a ausência do Riquinho, que não há meio de vir aqui dizer que a cidade grande é um mundo! Cá para mim desapareceu novamente!

    ResponderEliminar

Olha, apetece-me moderar outra vez! Rais' partam lá isto!

P.S.: Não sou responsável por aquelas letrinhas e números enfadonhos que pedem aos robots que cá vêem ler-nos.