segunda-feira, 27 de junho de 2011

A regueifa....ou uma história inverosímel

(Sugestão do Tio do Algarve)

Inverosímel - adjectivo que significa: "pouco provável", "incrível"; "que não é ou parece ser verdadeiro"

A regueifa dela era das melhores do mercado, na sua santa terrinha. As suas formas redondas e entrançadas atraíam imensos forasteiros, que formavam fila para  a observar, para a cheirar, para lhe tocar, para a trincar e saborear. A multidão juntava-se bem cedo, aos sábados de manhã, à volta da bancada dela. O toque final dado pela pincelada de manteiga a cobrir-lhe o torso dourava-lhe o exterior e enriquecia o sabor adocicado e textura suave da miscelânea cujo segredo poucos conheciam. Verdade seja dita, a fama das mãos que tocavam naquela massa quase divina tinha-se propagado pela região há muitos anos. Vê-las trabalhar era um privilégio de poucos, pois não era no mercado municipal que o "milagre" acontecia. Lá, apenas se lhe dava projecção. E saciavam-se estômagos de miúdos de 9 anos que, nunca tendo provado tal manjar, abocanharam a primeira que lhes veio parar às mãos. E de graúdos, que já não a comiam há anos! E que bem me soube!

3 comentários:

  1. Ness, ainda em espírito sanjoanino28/06/11, 09:24

    A que compro ao domingo, e que tenho tomado como "a verdadeira", não leva pincelada de manteiga nem tem sabor adocicado, embora mantenha formas redondas e entrançadas. Tal como outros produtos culinários, imagino que tome formas diferentes conforme a região. Enfim, uma francesinha a sério nunca deixará de ser feita no Porto, por muito que assim lhe chamem noutras terras :P

    ResponderEliminar
  2. @Ness, já que pelos vistos só no Porto é que se cozinha "a sério" e "verdadeiramente" certos pratos, para que raio vais tu comer pimentos e mais não sei o quê a Espanha?

    Um texto sobre regueifa, algo doce, típico da minha terra, e ele vem puxar a brasa à sardinha dele....olha-me este :P

    ResponderEliminar
  3. Pseudo,
    Entre a francesinha e a regueifa, prefiro a primeira. Mas obrigado por te teres lembrado de mim. Espero que não tenha sido por causa da manteiga...Na minha terra também se usava o azeite para por no pão, e os miúdos, em cima do azeite, punham uma colher de açucar (às escondidas dos pais e avós)

    ResponderEliminar

Olha, apetece-me moderar outra vez! Rais' partam lá isto!

P.S.: Não sou responsável por aquelas letrinhas e números enfadonhos que pedem aos robots que cá vêem ler-nos.