domingo, 19 de fevereiro de 2017

O meu acompanhante

Acompanhou-me durante 24 horas consecutivas, bem contadinhas. Bem juntinho do meu corpo, da minha pele, do meu coração. Abraçou-me, enlaçou-me e avisou-me. Não me abandonou enquanto dormia, não fez birras, não se desligou de mim. E contudo, eu achei-o um grande incómodo! Amanhã devolvo-o a quem de direito!

7 comentários:

  1. Fizeste um holter 24 horas?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Fiz sim, N. O primeiro e o último, espero eu. :)

      Eliminar
    2. Hey! Não há nenhum prémio?
      Assim do meio do nada consegui perceber imediatamente aquilo que descrevias! E modéstia à parte não era fácil!

      (Que os resultados sejam bons. Uma das maiores mudanças - para melhor! - da minha vida deu-se após um holter!)

      Eliminar
    3. N., poderá haver, sim. O que desejas?
      Não seria difícil para quem está familiarizado com os procedimentos. Eu nunca lá chegaria, com esta descrição, se não tivesse passado por isto.

      (Desconfio que vou levar com um ultimato brevemente, sabes? :)

      Eliminar
    4. Desejo que não tenhas que levar com um ultimato. Desejo que isso melhore e que fiques bem. Pode ser?

      (Pensei escrever o valor em dívida da minha hipoteca como desejo, mas achei que era um pedido utópico)

      Eliminar
  2. Eu fiz na semana passada, também não fiquei fã... E por isso também percebi logo o post!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pois, Anónimo, estes nossos corações são traiçoeiros, não são? :)

      Eliminar

Olha, apetece-me moderar outra vez! Rais' partam lá isto!

P.S.: Não sou responsável por aquelas letrinhas e números enfadonhos que pedem aos robots que cá vêem ler-nos.