domingo, 20 de novembro de 2016

A primeira vitória: 24 - 22

Em casa, para gáudio dos progenitores presentes.
"Aleluia!" - disse eu ao treinador, entre outras coisas que ouviu também de outras pessoas.
Já o rapaz saiu amuado, pois, apesar de ser titular, saiu antes do intervalo sem nunca mais regressar; e o que jogou, não (lhe) agradou.
É a vida. Há que fazer por ela!
No próximo domingo, vamos ali a Marrocos.

6 comentários:

  1. A "Pseudo" está uma verdadeira "Dolores"...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não sabendo o que isso é, nem sei como encarar, Anónimo. É bom ou mau?

      Eliminar
    2. Não me diga que não conhece a Sra. D. Dolores Aveiro!?!?...

      Eliminar
    3. Não, Anónimo, não conheço essa senhora, de facto. Apenas sei, agora que acrescentou mais qualquer coisa factual, que é a mãe de alguém que sei quem é, mas que também não conheço. :)

      Eliminar
  2. Respostas
    1. Ai Fernando comunista, não pude evitar rir-me, de tão retrógrado que isto é :) Eu tinha 5 anos à altura desta cantiga. :)

      Por acaso, desta vez, a vitória não foi difícil. Mas eu não estava no campo, apenas assisti :)

      Eliminar

Olha, apetece-me moderar outra vez! Rais' partam lá isto!

P.S.: Não sou responsável por aquelas letrinhas e números enfadonhos que pedem aos robots que cá vêem ler-nos.