quarta-feira, 28 de setembro de 2016

Isto do andebol

Ainda estou a decidir se gosto que ele seja atleta federado desta modalidade ou não...
É tudo muito bonito e o rapaz anda entusiasmadíssimo (demais, quanto a mim, mas eu sou mãe e tenho outro papel e ele é que treina e joga) e se não fizesse mais nada na vida, treinava diariamente. O problema é que faz outras coisas e não me refiro só à escola e ao compromisso que implicam. É que o dia tem 24 horas, o dele e o meu, e eu estou a sentir-me taxista barata tonta, com  um ritmo a que não estávamos habituados. E os jogos ainda nem sequer começaram. Porque quando começarem, os fins-de-semana já eram... e as viagens bimensais entre Braga - santa terrinha - Braga - verão acrescidas as viagens para os destinos dos jogos fora de casa. Vai ser bonito!
E ainda estou p'ra ver o que ele vai decidir fazer numa certa semana de início de Novembro, que é quando ele costumava ir de férias escolares para a casa da avó na santa terrinha. Este ano duvido que tal aconteça, precisamente à conta desta actividade desportiva.
Já estou cansada e quase que não é nada comigo!

2 comentários:

  1. Sou mãe de um atleta federado, faz desporto de competição há 14 anos, no caso dele como é um desporto individual dá para escolher, dentro de um calendário de provas nacionais, onde ir jogar, passámos bons fins-de-semana por este nosso país à pala de irmos com ele. Falo no passado porque o meu marido morreu subitamente, agradeço termos acompanhado tanto mas por tão pouco tempo o nosso filho. Agora já é maior e já conduz, mas continua a gostar da minha companhia e eu continuo a achar que ele é o melhor tenista do mundo.

    ResponderEliminar
  2. Mãe anónima, nós somos tããããõoooo imparciais, não somos? :)

    obrigada pelo testemunho.

    ResponderEliminar

Olha, apetece-me moderar outra vez! Rais' partam lá isto!

P.S.: Não sou responsável por aquelas letrinhas e números enfadonhos que pedem aos robots que cá vêem ler-nos.