segunda-feira, 26 de outubro de 2015

Gostava tanto de ter escrito isto

Mas foi o Quimera que se adiantou e saiu-se com estas belas e tão verdadeiras, nada merdosas, quadras, que passo a citar:

#Enrabados (Poema das Legislativas 2015)

Esta é a história de umas eleições,
Que acabaram por dar para o torto,
De um Presidente que faz reflexões,
Num país que não tem onde cair morto.

Uma coligação sem maioria absoluta,
E uma esquerda sedenta de poder,
É uma salganhada filha da puta,
Que vai ser difícil de resolver..!

A Catarina, o Jerónimo e o Costa,
O Pedro, o Paulo e a PàF,
É tudo a mesmo a bosta,
Pouco importa quem é o staff..

“O drama, a tragédia, o horror”,
Já dizia o Artur Albarran,
Se não queriam este filme de terror
Tivessem todos votado no PAN!

Chega de esperanças falsas,
Mentalizem-se: é este o nosso fado!
Escusam de arregaçar as calças,
Porque o Zé Povinho vai continuar a ser….

… isso.

2 comentários:

  1. Brilhante, inteligente, com sentido de humor...e infelizmente tão verdade.

    ResponderEliminar

Olha, apetece-me moderar outra vez! Rais' partam lá isto!

P.S.: Não sou responsável por aquelas letrinhas e números enfadonhos que pedem aos robots que cá vêem ler-nos.