sábado, 4 de julho de 2015

Ontem ao jantar

Após duas semanas de rambóia, monitorizadas por gente adulta, com vinda diária a casa da avó paterna para jantar, pernoitar e fazer ginástica localizada com os dedos, o petiz de treze anos- leia-se adolescente com 174 cm, mais 10 do que a mãe e igual ao pai em tamanho - só ontem, o último dia desta rambóia (pois as festas dele não acabam por aqui) trocou números de telemóvel com certas pessoas (continuo sem saber para que raio querem eles uma cena que serve para comunicar quando afinal raramente fazem isso uns com os outros).
Ele sabe que durante as refeições à mesa não deve usar telemóvel e que nós não gostamos que o faça. Estávamos ontem já a terminar o jantar, tardiamente, e recebe ele uma série de SMSs, que lê, mas decide não responder naquele momento. Conversa p'ráqui, perguntas p'rácolá, por parte da mãe e do pai, e ele lá vai dizendo, com um sorrisinho e olhar maroto e encabulado, que são duma rapariga que conheceu durante a rambóia, cujas últimas palavras são "vou comer, xauuu".
Não sei se me sinto preparada para esta nova fase da minha  vida.

6 comentários:

  1. Respostas
    1. Um bocadito, titi; mas hoje portei-me lindamente, no aeroporto! :)

      Eliminar
  2. Pensa que se a frase contivesse a partícula "te" seria muito mais preocupante...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tio, há-de vir o tempo em que eu não quero saber desses prumenores. :)

      Eliminar
  3. Porquê? Ainda se fosse "Viu TE comer..."...
    ;)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não sei se percebi, Anónimo...

      Eliminar

Olha, apetece-me moderar outra vez! Rais' partam lá isto!

P.S.: Não sou responsável por aquelas letrinhas e números enfadonhos que pedem aos robots que cá vêem ler-nos.