domingo, 7 de junho de 2015

Dos almoços dominicais em família pequena

Hoje, à mesa do almoço, mais uma vez escandalizei a minha avó quando lhe contei que, quando morrer, quero ser cremada. E que as minhas cinzas sejam deitadas numa terra qualquer fértil e em cima seja plantada uma árvore. Muito resumidamente, a minha avó octogenário e hiper-católica achou que eu estava a judiar com ela. Quando o MQT partilhou que queria que acontecesse o mesmo ao seu corpo morto, mas que as cinzas fossem lançadas ao ar na Serra do Gerês, chamou-nos tolos. 
Definitivamente, nunca teremos lugar no céu dela.

4 comentários:

  1. À pancada que distribuis, só pode ser um marmeleiro :P

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Queres ser o primeiro a experimentá-lo, Ness? :)

      Eliminar
  2. Esse assunto também já me rondou muito cá por dentro. Mas prefiro não pensar muito nele.
    Boa noite, Pseudo!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu já não pensava nele há muito tempo, desabafos. Mas a minha avó disse algo que me incomodou e que despolotou a reacção que tive à mesa, que terminou com isto que partilhei convosco dito em tom algo exaltado.

      Fica bem e bons sonhos! :)

      Eliminar

Olha, apetece-me moderar outra vez! Rais' partam lá isto!

P.S.: Não sou responsável por aquelas letrinhas e números enfadonhos que pedem aos robots que cá vêem ler-nos.