quarta-feira, 20 de maio de 2015

Fiquei com a pulga atrás da orelha, fiquei...

Estava eu a folhear aquela secção central duma revista, que aparece agrafada e é de tamanho mais diminuto e que foca locais de lazer e de natureza cultural, quando dou de caras com uma referência a um sítio qualquer de restauração, já não me lembro onde, que publicitava algo que eu julgava impossível de existir: FRANCESINHA VEGETARIANA.
Ou eu continuo a não perceber nada de francesinhas, o que até é natural em mim, pois não as aprecio devidamente nem corro atrás delas; ou este conceito é em si mesmo um paradoxo. Alguém me explique, se faz favor, como é que um prato que leva bife e linguiça se pode chamar de vegetariano.

50 comentários:

  1. Com pão de forma integral, enchidos de soja ou de seitan, cogumelos e queijo vegan. Mas não me parece que seja a mesma coisa, digo eu, que não percebo nada disto

    ResponderEliminar
  2. Tudo muito bem, lady_m, mas então não lhe chamem FRANCESINHAS; chamem-lhe outra coisa qualquer e eu até sou menina para provar tudo uma vez.

    (Onde já se viu eu, inculta inexperiente nessa iguaria, a defender as mesmas??)

    (Outra coisa: onde pára o teu blog?)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. supostamente até "francesinhas" de marisco há. É como a cena das alheiras de bacalhau... tipo... se é de bacalhau não é alheira

      Eliminar
    2. Ora nem mais!
      Estas variantes gastronómicas dão-me volta aos neurónios!

      Eliminar
    3. E não é que acabei de ver "Rosbife" de salmão num menu...?

      Eliminar
    4. Oh pah, peixe-carne! Só à martelada! Mas será que não pensam na origem da palavra "roastbeef"???

      Eliminar
  3. aqui http://theblog.blogs.sapo.pt/

    ResponderEliminar
  4. Olha, concordo contigo, pelo menos uma vez, quanto ao conceito de francesinha :P Não é para vegetarianos, ponto :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ness, andas doente, só pode! :P

      Eliminar
  5. Passarão a chamar-se Panasquinhas...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mano, eu, no teu lugar, registava já a patente. E olha que desta vez dirigo-me a ti num tom e intenção deveras sério. :)

      Eliminar
  6. Tu também tens "bife no lombo" és uma boa "febra" e acredito que já te chamaram (ou chamam frequentemente) "minha flôr"...
    Verdade???
    Vês?!?!?
    ;)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Até me engasguei a comer o raio da maçã!! Ó Anónimo!! Quem me poderá chamar "minha flor", não frequenta vegetarianos. E o resto é conversa que não é práqui chamada. :)

      Eliminar
    2. Essa dentada na "maçã" é em sentido literal ou figurado?
      A meio da tarde e às voltas com o fruto proibido...já fez a digestão?...
      ;)

      Eliminar
  7. Literal, pois se estava com a maçã na mão, a caminho de lhe dar uma dentada...

    Penso que sim. O meu almoço terminou antes das 13:00h. :)

    ResponderEliminar
  8. Pena...
    seria mais proveitoso para si se fosse figurado...
    digo eu...

    https://www.youtube.com/watch?v=3cTiDTedAkk

    ;)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Há um lugar e uma hora para tudo e este moemnto não é essa hora. :)

      Olhe lá, já não me tinha ofertado essa musiquita antes?

      Eliminar
    2. Xinhe! Ou é outro Anónimo que não o habitual?

      Eliminar
    3. Há aqui um anónimo habitual? Qual? Consegue descrevê-lo? Na volta sou mesmo eu...já me consideram cliente habitual e nem dei por isso...

      Eliminar
  9. Há, sim. Chama-se simplesmente "Anónimo" e é assim, só com esse epíteto, que o consigo descrever. :)

    ResponderEliminar
  10. ProntoS! Já vi que não sou o único...

    https://www.youtube.com/watch?v=uY136hjOEdY

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu cá acho que é sempre a mesma pessoa. Pois se o nome é o mesmo e nada mais há que distinga o "Anónimo" do "Anónimo", como é que eu posso saber?
      Vá, assine de forma única e original ké para eu não vos confundir a todos. Pode ser? :)

      Eliminar
  11. My name is nónimo. A nónimo.


    Confesse lá, não há muitos anónimos tão parvos quanto o seu pois não?
    Não se sente uma privilegiada?...

    ;)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A nónimo, acho que tenho tido sorte com o/a "Anónimo" que por aqui tem passado, sim. São raríssimos os comentários que não vêm a luz do dia.

      Sinto-me privilegiada, mas por outras razões que nada têm a ver com anónimos :)

      Eliminar
    2. Ou é "vêem"? Ou nenhuma das anteriores? Olhe, percebeu, não percebeu? Eu sei que sim. :)

      Eliminar
    3. Bem...vamos lá quebrar a rotina e fazer um comentário improprio por forma a que não conheça a luz do dia: $%($=(»"^>"#$%&.

      Bem feito!

      Eliminar
  12. Afinal não publica apenas os comentários do a nónimo simpático.
    Os meus também!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Claro que sim, que publico os seus. Se quer que eu não publique, tem que me avisar / pedir. Acho que ainda não foi dito nada que justificasse o meu lápis azul; ou foi?

      Eliminar
    2. Não, não!
      Sei que anseia pelos meus comentários como aquela história do Princepezinho que uma esperava por outra e tra la ra, mas nunca imaginei que se maquilhasse...por acaso gosto do azul nos olhos...é para os olhos, não é? É que nos lábios o azul já não me agrada tanto...

      Eliminar
  13. Anónimo, eu não me maquilho. E se algum dia usar lápis nos olhos, será preto. :)
    Por acaso nunca soube porque raio é que o lápis teve que ser azul...

    ResponderEliminar
  14. https://www.youtube.com/watch?v=niI98P1uMMU

    ;)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Agradeço. Mas não se esqueça que o post que comenta é sobre febras, linguiças, pão e molho. :)

      Eliminar
    2. E eu lá me esqueço...estava precisamente a pensar nisso...eu sou uma especie de alma gêmea, faço-lhe companhia, animo-o, conforto-a, faço-a sorrir...mas é outro que "petisca" o "bife do seu lombo" como diz o anônimo das 16h29. è como disseste às 19h26: AZAR!

      Eliminar
  15. "...animo-o..."<<<não confunda o meu género, sff. :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tenho que lhe confessar que sou gaja e por isso tenho que ir fazer a janta. Cara colega, nem todas de nós podem usufruir desse luxo que é ter que cozinhe para nós... ábiantô.

      Eliminar
  16. Eu tb gostava de ter esse luxo, Anónimo. Acredite que fui eu que cozinhei o jantar, como acontece quase sempre, e já jantámos. :)

    ResponderEliminar
  17. Bimby??? Não acredito que saiba cozinhar...A Pseudo é mais blogs e unhas de gel...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não tenho nem quero ter Bimby. Sei cozinhas, mas não gosto nem um pouco de o fazer. Não sou mais blogs, e sim blog; e nunca na vida usei unhas de gel. :)

      Eliminar
  18. Olhe eu cá sou Bimbo (fresco e fofo), não sei cozinhar embora gostasse de saber e de ter que o fazer de vez em quando, mando bocas em blogs para desopilar, tenho "caca" nas unhas e gel já nem no cabelo que vai escasseando...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pronto, Bimbo, cada um é pró que nasceu :)
      Fica mais fácil de pentear o que resta.
      Este tasco existe para isso mesmo: desopilar.

      Eliminar
    2. A Pseudo é uma sedutora...chego a esquecer por vezes que é antipática, snob e sei lá mais quê...

      Eliminar
    3. Coíbo-me de comentar as suas palavras, mas acredite que me ri, por dentro, com uma delas. Coisas cá minhas :)

      Eliminar
  19. Vê como a animo...mas é outro que "petisca" o "bife do seu lombo"...
    Por falar em bifes...O JANTAR?!?!?!?!?!?
    Respeitoso beijinho D. Pseudo.
    Agora sim óbiradéxi.

    ResponderEliminar
  20. O seu eu não sei. Já lhe falei do meu/ nosso.

    Boa noite.

    ResponderEliminar
  21. Sim, sei lá mais quê :P

    ResponderEliminar
  22. Olha, agora estás aí a ver se me espremes, já de mão levantada não vá eu dizer algo de que não gostes. E eu digo, nesta casa és uma ditadora :P

    ResponderEliminar
  23. Posso começar a sê-lo na "tua" casa, se é disso que te queixas :P

    ResponderEliminar

Olha, apetece-me moderar outra vez! Rais' partam lá isto!

P.S.: Não sou responsável por aquelas letrinhas e números enfadonhos que pedem aos robots que cá vêem ler-nos.