quinta-feira, 14 de maio de 2015

Coisas da vida

Chegaste repentinamente à minha vidinha pacata e sem grandes sobressaltos, depois de um período de breve descanso. Não te fizeste rogado, não. Mal eu acordei, lá estavas tu a fazer-me sinal, a dizeres que existias e que não irias deixar-me em paz e sossego tão cedo. Ainda tentei ignorar-te pensando que no dia seguinte já te terias evaporado. Mas qual quê? Persistente e teimoso que nem uma mula, nem durante a noite descansaste. E também não me deste descanso. E no dia seguinte ainda me obrigaste a não me deixares ignorar-te. Lá estavas tu, pica miolos, a moer-me a paciência, a sujeitar-me à tua presença constante e dolorosa. Perguntavam-me o que tinha eu, porque andava diferente. E eu olhava para eles e para elas de frente, enfrentando-te da maneira mais confortável para mim. Estás a ser um grande incómodo, sabes? Mas não és intransponível. Já sei como te enfrentar e derrotar e ultrapassar. E daqui a uns dias já não me lembrarei da tua existência, pois há momentos que não merecem ser recordados. Daqui a uns dias veremos quem ganhou. 
Assim o Adalgur me ajude.
(Maldito torcicolo!)

20 comentários:

  1. Um dos efeitos adversos dessa coisa, ao fim de uns dias, é ires a correr para a casa de banho.
    Boa sorte :p

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ah, no meu caso nem será efeito adverso, pois a obstipação anda sempre comigo. :)

      Eliminar
    2. Volta a apostar nas avelãs...

      Eliminar
    3. Anónimo, não seja parvo.

      Eliminar
    4. Se fosse um gajo com um canudo da Universidade de Medicina de Vraga pagavas 100 €, como é alguém da Faculdade de Medicina do Porto, chamas-lhe parvo. Ok... Vou-me empanturrar em Nutella...

      Eliminar
    5. Não percebi, Anónimo: pagava 100 eurecos pra quê?

      Isso faz mal. É uma colher de chá, somente.

      Eliminar
    6. 100 eurecos pela receita que prescrevi: avelãs!

      Eliminar
    7. O Anónimo anda bastante obcecado, sabe? Sabe que há outras coisas que causam indisposição e males no fígado, além das ditas cujas?

      Eliminar
    8. Sei claro. Nutella de avelãs, tarte de avelãs, chocolate com avelãs,...

      Eliminar
    9. Felizmente, eu ainda não sei disso por experiência própria...:)

      Eliminar
  2. Julguei que tinhas um gato novo...
    A minha é pior que torcicolo!

    ResponderEliminar
  3. Uvinha, vou dar-te um desgosto que me vai fazer descer ainda mais na tua consideração: não acho piadinha nenhuma a gatos. Se algum dia tivesse hipóteses de ter um animal de estimação, seria sempre um cão, grande e peludo...ver post mais abaixo com ilustrações :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E tu achas que isso era motivo para desceres na minha consideração?? E o que fazia eu ao meu marido??

      Eliminar
    2. Ora, nunca se sabe...
      Quanto ao teu marido, eu sei bem o que lhe faria, mas reservo-me o direito de me calar em público :P

      Eliminar
  4. Acho que o gato em causa deve ser pouco peludo, tanto mais que agora é moda :P

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ness, mas qual gato? A sério que não consigo ver que raio de associação fizeram entre o mal de que padeço neste momento, que é no pescoço, e o animal. E o que é que é moda? Ter torcicolos? Enfim...

      Eliminar
  5. E então, o gatinho, porta-se bem?

    ResponderEliminar
  6. Mg, pergunta a quem tem gatinhos, não a mim.

    ResponderEliminar
  7. "O torcicolo mostra que a pessoa sente uma desvalorização de si própria, do ponto de vista intelectual, ou que se sente contrariada por alguém ou pelas circunstâncias. Que algo na sua vida a está a deixar desconfortável ou até com um sentimento de raiva, embora a raiva se expresse também em tensões crônicas nos ombros, no pescoço e nos braços.

    Aqueles de nós que experimentam este tipo de dor necessitam fazer-se algumas perguntas. Estou a sentir raiva ou medo? Insegurança talvez? Será que aquilo que você tanto esperava nunca aconteceu? Isso faz com que se sinta inapto ou injustiçado? Sente que está a remar contra a maré? Será que está a sentir medo em relação ao seu futuro ou ao da sua família? Todas essas emoções têm um efeito cumulativo que, em último grau, provocam essas dores físicas que vão dos ombros ao pescoço".

    in http://esotericlink.com/blog/blog/2014/10/23/torcicolo-o-verdadeiro-significado-de-um-torcicolo/

    Será raiva do anônimo das avelãs???

    https://www.youtube.com/watch?v=RVmG_d3HKBA

    ;)

    ResponderEliminar
  8. hahahahahaha!! Não me faça rir, homem, que não posso agora...eu senti raiva, sim, dum certo sofá...:P

    ResponderEliminar

Olha, apetece-me moderar outra vez! Rais' partam lá isto!

P.S.: Não sou responsável por aquelas letrinhas e números enfadonhos que pedem aos robots que cá vêem ler-nos.