sexta-feira, 3 de abril de 2015

Inculta, me confesso

Gosto de cinema, de ir ao cinema, de estar em salas pouco cheias, de "entrar" no filme e apreciar o filme escolhido. 
Nunca, contudo, vi um filme do português falecido do início ao fim. Não sei se o senhor era bom ou mau no que fazia. Mas devia ser bom, excelente, único, até. Acredito que sim. E ainda bem que viveu tanto tempo. Pode ser que quando eu chegar perto da idade dele, seja ainda capaz de ver alguma coisa de jeito.

7 comentários:

  1. Confesso o mesmo! Juro que tentei ver um, mas a única coisa que consegui foi dormir um soninho descansado durante cerca 60 minutos ... vale-me (ou não) a desculpa que era uma adolescente (talvez agora fosse diferente).

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Nininha, há que dar nova oportunidade e ver com outros olhos. Eu farei isso, um destes dias :)

      Eliminar
  2. Gostar de cinema é admiravelmente vago...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tudo para te fazer pensar ainda mais, Mano :P

      Eliminar
  3. Nunca tive curiosidade em ver filmes dele. Talvez porque não ligo a cinema português.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pois eu ando cheiínha de vontade de ver o último do João Botelho, mas há em mim algo que lhe tem resistido, M&M :)

      Eliminar
  4. Houve uma época (era eu bem pequena) em que vi o Aniki bobó com o meu pai e lembro-me que gostei, mas foi o único até hoje (todas as apresentações que vi em anos recentes, nunca nenhuma me chamou a atenção e eu para nanar é mais caminha...)
    O cinema português que ainda hoje vejo as vezes que forem precisas é o do tempo do "Ó Evaristo?! ...Tens cá disto?!" Ele que me perdoe, mas está para mim no patamar do Saramago...eu devo ser muito burra, porque não pesco nadinha...

    ResponderEliminar

Olha, apetece-me moderar outra vez! Rais' partam lá isto!

P.S.: Não sou responsável por aquelas letrinhas e números enfadonhos que pedem aos robots que cá vêem ler-nos.