quarta-feira, 8 de abril de 2015

Gap geracional

Hoje em dia, não se tiram fotocópias de material eventualmente necessário e útil para estudar para os exames. Tiram-se fotografias desse mesmo material e estuda-se por elas. Esta agora...

10 comentários:

  1. É uma geração muito mais ecológica :P

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É pois, Ness. Então quando deixam uma Sala do Aluno com cantinhos cheios de lixo, são extremamente ecológicos. :P

      Eliminar
  2. Ó pá... Em 2011 participei numa cena dessas... Enunciado de um exame. Teve de ser.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Um enunciado de exame tem quê? 10 - 12 páginas ou menos. Um livro pode ter mais de 100 págs: era o caso :)

      Eliminar
    2. Não deviam ter mais nada para fazer...

      Eliminar
    3. Pois, já passava da hora de saída delas, já :)

      Eliminar
  3. Também não tiram apontamentos, tiram fotografias aos slides projetados.
    Agora ... fotografar um livro nunca vi. Estudar assim é coisita para cansar mais vista, do que o neurónio ;)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Nininha, não fotografaram o livro inteiro; mas dois capítulos, sobre o mesmo assunto, de 2 livros diferentes...eu até perguntei a mim mesma..."então e agora, imprimem ou só lêem no telelé?" É que aquilo tem um ecrã mais piqueno que a minha palma. Ou às tantas passam as dezenas de pags para o PC, sei lá...mas que estranhei, estranhei. Continuo a achar que tirar as copias seria muito mais rápido do que o processo todo; até porque a reprografia estava ali à mão...

      Eliminar
  4. Isso não dá jeito. Não se pode sublinhar e fazer apontamentos... nada.
    Só fiz isso uma vez e foi porque não nos deixavam fotocopiar o trabalho que precisávamos para nos guiar

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Absolutamente de acordo, M&M. Mas acredita que é uma estratégia de estudo para muitos, hoje em dia.

      Eliminar

Olha, apetece-me moderar outra vez! Rais' partam lá isto!

P.S.: Não sou responsável por aquelas letrinhas e números enfadonhos que pedem aos robots que cá vêem ler-nos.