sexta-feira, 13 de março de 2015

É tudo muito bonito, mas seríamos muito mais felizes sem telemóveis

Não advogo o retorno à pré-história telefónica. Dão jeito, indiscutivelmente. São uma ferramenta de trabalho, de lazer, de comunicação. Mas só trazem chatices: é o ecrã que parte quando cai ao chão e que é caríssimo substituir; é o equipamento que deixa de funcionar quando cai na sanita; é o carregador que ficou perdido naquela casinha rural onde passámos o fim-de-semana; é o brinquedo do meu amigo que é melhor do que o meu, logo quero um igual; é a comunicação em forma curta que estraga a linguagem escrita; é aquela funcionalidade que, sem eu saber, até comprova a minha localização geográfica; é a necessidade que muitas pessoas têm de estar ligadas à net onde tudo (discutível) acontece; é aquela chamada telefónica que foi abaixo por falta de bateria; é aquele hábito que os alunos têm de ver as horas durante um teste; ...é um rol de chatices e preocupações para os utilizadores, que não as tinham antes de adquirir aquela miniaturazinha viciante que cabe na palma da mão.
Devia ser instituído o Dia da Não-Utilização do Telemóvel. A ver se não andava tudo de cabeça mais erguida...

Adenda: Nem de propósito: o ZITS de hoje:

4 comentários:

  1. isso fez-me lembrar o: Nao temos wifi ca em casa, conversem entre voces :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá MissLilly!

      E não devia ser assim? Que wi-fi, qual carapuça! Qualquer dia tenho que escrever um SMS ao meu filho a mandá-lo arrumar o quarto dele...

      Eliminar
  2. E depois que faziam as pessoas com a cabeça erguida para falarem com outrém olhando-nos olhos? Ia parecer cenário de ficção científica! Bom fim de semana, Pseudo!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Por acaso, desabafos, faz-me imensa impressão ver a quantidade de gente, adulta e juvenil, a usarem telelé à mesa, nos restaurantes. Mesmo quando falam uns com os outros, lá está o bichinho à frente da cara de alguém.

      Bom fim-de-semana para ti e para os teus :)

      Eliminar

Olha, apetece-me moderar outra vez! Rais' partam lá isto!

P.S.: Não sou responsável por aquelas letrinhas e números enfadonhos que pedem aos robots que cá vêem ler-nos.