terça-feira, 24 de fevereiro de 2015

A ida ao veterinário

Hoje levámos a bicha ao veterinário.
Agora mesmo, enquanto lia o texto anterior, é que reparei que o nome dela foi mais uma vez alterado, não sei quando, para uma variante da que vem mencionada no link de cima: já há algum tempo que é a Papa-Tudo. Diria que há mais de 2 anos que a tratamos por Papa-Tudo. E foi este o nome que deixámos na sua ficha clínica, naquele Hospital.
A verdade é que a Papa-Tudo não andava a papar nada. E não se mexia. E não reagia a estímulos de toque e de voz. E não abria os olhos. E não elevava o pescoço para pasmar a olhar para nós. E não sapateava em lado nenhum. E isto desde que, na semana passada, a mudei da sala, acolhedora e quentinha, para a varanda, sujeita às intempéries e ao frio matinal.  E eu assustei-me. E comecei a ficar preocupada. E comecei a ter pensamentos esquisitos, mórbidos mesmo.
Entretanto, encontrei a G. no supermercado que, ao ver-me de lagrimita no olho à conta do animal, disse que o vet iria rir-se de mim quando a levasse a visitá-lo, pois a Papa-Tudo estava, de certezinha absoluta, a hibernar novamente. 
E a G. tinha razão! 
Mas bolas, a Papa-Tudo não se mexia, não bufava, não escoiceava, não fazia nada do que é habitual nela, a não ser estar ali prostrada, sem abrir os olhos, sem mexer as patas e sem comer a salsicha.
Vocês não teriam feito o mesmo que eu, mediante o pagamento de alguns euros?

23 comentários:

  1. Como foi nem anos anteriores?

    Se ficaste mais sossegada, foi melhor gastar os aérios!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Até ao ano passado,inverno de 2013/14, ela estava sempre dentro de casa numa tartarugueira. Viamos o animal hibernado, mas nunca nos preocupou, pois mais cedo ou mais tarde, acabava por ir pular da rampa para a água. Mudou de "lar" antes do verão de 2014, para a varanda e este foi o primeiro inverno (ou melhor, algumas semanas já em 2015) que efectivamente passou ao relento. Pronto, foi o suficiente para o seu metabolismo desacelerar e ela retraír-se, literalmente. É que parecia mesmo que tinha encolhido e que estava a ficar seca e encarquilhada.

      Eliminar
    2. Coitada!! Não estava habituada! Já viste bem o frio que está?

      Eliminar
    3. Pois foi!! Daaaahhhhh-isse minha!! P'ró ano já sei :)

      Eliminar
    4. Para a próxima, antes de a levares ao vet, perguntas à malta!!! :D :p

      Eliminar
    5. E perguntei! Acredita que perguntei. Mas e eu que não me sentia sossegada, cá por dentro, por muito que me dissessem o que a G. disse? :)

      Eliminar
  2. Temo que nas tuas mãos a maior das espécies animais corram sérios riscos de extinção...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ora ainda bem que esta é uma espécie pequenino, que uma baleia azul ou um dinossauro não caberiam cá em casa. :)

      Eliminar
  3. A tua hiberna, as que eu tive (2) eram ninjas... fugiram do aquário... agora tenho um gato, castrado que é por causa das coisas :P

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ora explica lá, assim com detalhes descritivos, como é que duas ninjas fogem do aquário.

      hahahahaha...ainda estou aqui a imaginar 2 ninja turtles, de faixa verde na cabeça, a saltarem para fora duma caixa de vidro!

      Eliminar
  4. Eram dois cágados que cabiam na palma da mão, estavam os 2 numa tartarugueira daquelas "tradicionais" plástico azul com a palmeirinha na ilha, no meu terraço, certo dia cheguei a casa e vi que faltava um... pensei "empoleirou-se nas costas do outro e conseguiu sair", encontrei-o no terraço da vizinha de baixo, de patas para o ar e já coberto de formigas... troquei a tartarugueira por um aquário com as paredes mais elevadas e deixei o tartarugo que sobrou também no terraço, certo dia, cheguei lá e nada, eclipsou-se literalmente, pois não o encontrei em lado nenhum... ninja!

    ResponderEliminar
  5. ahh, nós, desde que as comprámos, canininhas como as tuas, tivemo-las sempre numa "prisão" alta; nada de palmeirinhas e paneleirices. A companheira desta morreu passado pouco tempo e teve direito a funeral na ribeira perto de casa. Esta tem resistido a muita coisa, apesar de não ter companheiro :)

    ResponderEliminar
  6. Depressa percebi que a palmeirinha podia ajudar na fuga, por isso comprei um desses aquários com as paredes bem altas para ter a que sobrou... ainda hoje gostava de saber como é que conseguiu... é um dos grandes mistérios da minha vida...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olha, um dos mistérios aqui de casa é clássico: onde param os pares das meias? :)

      Eliminar
  7. Opá, esse é fácil! Estão no tambor e canos da máquina de lavar roupa! E também lá estão moedas, isqueiros, chaves... tudo o que vai esquecido nos bolsos das calças ;)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Isqueiros e chaves...isso é coisa para afectar uma maquinita, num é? :)

      Eliminar
  8. É! Como é que achas que encontrei as meias desaparecidas lá de casa? :P

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A sério que desmontaste e montaste a coisa??

      Eliminar
  9. Respostas
    1. Agora apetecia-me mesmo ajabardar a conversa toda, mas é melhor ser sensata :)

      Eliminar
  10. Deixa-me adivinhar... ías dizer que o técnico montou-me... a máquina :P

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Isso! Mas como ainda não tenho confiança contigo para essas coisas, é melhor dar tempo ao tempo e deixar a máquina nas mãos de quem de direito. :)

      Eliminar
  11. Ahahahahahah :D
    É na boa ;))))

    ResponderEliminar

Olha, apetece-me moderar outra vez! Rais' partam lá isto!

P.S.: Não sou responsável por aquelas letrinhas e números enfadonhos que pedem aos robots que cá vêem ler-nos.