terça-feira, 27 de janeiro de 2015

Aquilo da coisa

A coisa coisou-me que a coisa da outra coisa lhe tinha coisado que a coisa afinal já não coisava mais com o coiso. E coisei eu a seguir: "Mas afinal que anda esta coisa a coisar, hoje em dia"? 

A sério...nunca vi palavra mais sem sentido ser usada tantas vezes, todos os dias, por tantos coisos!

10 comentários:

  1. Dá tanto jeito a quem não consegue verbalizar por causa de coisas a que não estão habituadas: ao léxico, por exemplo!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É impressionante, não é? Ninguém nasce ensinado, facto; mas tanta falta de vontade de aprender, assusta.
      Entre ontem e hoje, perante a mesma plateia, usei palavras como "jurisdição", "utopia" e "obsoletas". Ninguém as conhecia, à excepção duma miúda que disse já ter "ouvisto" "utopia"...assim mesmo.

      Eliminar
  2. E ainda falta o meio-irmão da "coisa", que é o "tipo".
    Dá origem a tão belas frases como: "Eu tipo não sei, se aquela coisa tipo é igual à outra. Tipo, percebes?" ... irrita!!!! Fico sempre na dúvida, se a "coisa" e o "tipo" funcionam como pontuação ou falta de argumento.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Possivelmente, ambas, Nininha. Aqui em casa combate-se "tipo" diariamente. E ainda sou acusada de não conhecer a linguagem dos jovens do século XXI. Olha, só à bofetada mesmo...

      Eliminar
  3. Que coisa pá, tipo, que coisa.

    ResponderEliminar
  4. Eu acho que coisa e tal...

    ResponderEliminar
  5. Panda, Anónimo e Clementine, vocês são piores do que eu :P

    ResponderEliminar

Olha, apetece-me moderar outra vez! Rais' partam lá isto!

P.S.: Não sou responsável por aquelas letrinhas e números enfadonhos que pedem aos robots que cá vêem ler-nos.