quarta-feira, 15 de outubro de 2014

Parágrafo enganador...ou se calhar é só a minha mente distorcida a trabalhar


Sinceramente, não lhe prevejo grande longevidade. É feio e nada práctico. Além de que o que pretende substituir é um acessório de moda indispensável para a maior parte do público-alvo que, quando o usa, tenta condizê-lo com o resto. É ou não é verdade?

13 comentários:

  1. Se me cruzar com alguém a segurar uma merda dessas e levar com um pingo de h2o que seja está tudo fodido, aviso já...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mano, não tarda ponho-te pimenta na língua!

      Eliminar
    2. Se for bovina estufada e tenrrinha venha ela...

      Eliminar
    3. Epítas-te de boi, por acaso, Mano???

      Eliminar
    4. Olha que te estou atenta, óbistes??

      Eliminar
  2. Ora bem, eu não sei do que se trata, ao certo, mas aquilo que se me aflora à mente também não deve ser porque, vejamos:
    - não é um acessório e muito menos de moda
    - não percebo como se faz condizer uma pila com "o resto"...

    Portantos, se isso não são vibradores, não sei que raio será!

    ResponderEliminar
  3. Agora resolvi clicar sobre o parágrafo e devolveram-me em resposta que, afinal, é um guarda-chuva... :-( Lá está, uma pila 8seu substituto) não podia ser.

    ResponderEliminar
  4. Anónimo, eu nunca nomeei o objecto. Mas aquele parágrafo que destaco pode levar mentes perversas, como a minha, ao engano :)

    ResponderEliminar
  5. Esta mania dos telemóveis crescerem desmesuradamente de tamanho há-te ter um fim... um dia.

    Boa tarde :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Bom dia, Xilre. Quais telemóveis?

      Eliminar
    2. Ao ritmo a que os telefones espertos crescem, um dia destes bem se pode estar a falar de alguns deste tamanho. Who knows?

      Eliminar
    3. Sim, quem sabe...
      Mas sabes que este post não é sobre telemóveis, certo? :)

      Eliminar

Olha, apetece-me moderar outra vez! Rais' partam lá isto!

P.S.: Não sou responsável por aquelas letrinhas e números enfadonhos que pedem aos robots que cá vêem ler-nos.