quinta-feira, 1 de maio de 2014

Tá visto

Jogar com 10 funciona.

(Agora estou ansiosa por ler, amanhã, a perspectiva emocional e naaaaaaaada tendenciosa do Pulha Garcia. A sério, ele e o POC continuam a ser, a maior parte das vezes, dos mais lúcidos que por aqui leio.)

10 comentários:

  1. Que dez? Com nove, e um incapacitado de braço ao peito!
    É nosso destino a glória futebolística deste país, para honra e alegria de todos os verdadeiros apreciadores e amantes do futebol,este que o maior e mais conhecido clube do mundo nos dá.
    Benfica! Contra tudo e contra todos, com dez, com nove ou com oito sempre a ganhar!
    Honra e Glória ao maior, mais prestigiado e conhecido clube de futebol no mundo!
    A quem nos invejar...pois, expludam de raiva!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. OCorvo, a sua última frase diz tudo. E o resto são peaners...ou lá o que o JJ disse. :)

      Eliminar
  2. Maior clube só é este ano que o Porto é que tem mandado no futebol nestes ultimos anos. E ser o mais conhecido clube do mundo é um exagero porque fora da Europa ninguem mais o conhece.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Anónimo, é este ano e nos outros anteriores. Não me vai dizer que o seu clube, que presumo seja o Porto, é o mais conhecido do mundo, ou também vai exagerar? Que eu saiba, nem o Benfica nem outros clubes portugueses jogam fora da Europa, a não ser em jogos amigáveis. Vá lá apreciar os feitos do seu clube, sim? E deixe os adeptos de outros clubes fazer o mesmo sem azia de sua parte.

      Eliminar
  3. Maior, mais conhecido e prestigiado clube do mundo; até nas paragens mais remotas e imprevisíveis. Com de resto, aqui deixo provado.
    Em 1997, em plena floresta Equatorial deparei com os pigmeus.
    É um povo nómada que hoje dorme aqui amanhã ali, sempre em constante movimentação tanto habitam o Congo como o Gabão, Camarões ou a Guiné Equatorial; não votam nem participam em qualquer sociedade, nenhum pais lhes exige responsabilidades nem contam com eles para nada, não cultivam, nada produzem, vivem do arco e do mel, andam quase nus e comunicam por estalidos. Enfim, homem primitivo.
    – Sou português! – Disse eu sem nenhuma veleidade de ser compreendido.
    Ficaram entreolhados a olhar para mim com cara de parvos. Insisti no sou português, quando, para meu espanto, um de entre eles se destacou e disse apontando-me aos outros com um largo sorriso de satisfação de orelha a orelha:
    – Bric, tric, blic, plic, traque...Benfica!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. OCorvo, já lhe disse que gosto das suas intervenções? :)

      (um destes dias é convidado para Sócio minoritário, terá que partilhar 49% com a Sócia.:P)

      Eliminar
  4. Da última intervenção "Do Corvo" gostaria apenas de mui respeitosamente, destacar " Enfim, homem primitivo.". Não me parece que seja um relato que abone muito à inteligência dos adeptos do vosso clube...

    Saudações desportivas.

    ResponderEliminar
  5. Lá está, anónimo.
    Depende da perspectiva de como se mire a coisa.
    Da maneira de como se riam a gozar o prato, a mim, por exemplo; ter-me-ão achado extremamente ignorante verem-me a morrer de sede e desconhecer que aquelas raízes que pendiam das árvores e que uma catanada decepavam num ápice, um metro continha um litro de água pura, fresca e cristalina.
    A melhor e que melhor me soube em toda a minha vida, posso afiançar-lhe.
    Saudações desportivas...cá do alto :)

    ResponderEliminar
  6. Os meus parabéns pelo resultado.
    Ao contrário do treinador dos italianos, não acho nada que a culpa da sua (deles) eliminação tenha algo a ver com o árbitro. Acho sim que o treinador português da sociedade das nações fez o que tinha a fazer e mandou embarcar também o autocarro e fez dele o melhor uso!
    O que interessava era não sofrer golos e o objectivo foi conseguido. Mais, a inoperância dos italianos não é tanto por culpa própria, antes o é pela eficácia defensiva dos de Carnide, que fizeram uma bela partida.
    Pronto, daí até serem os melhores do mundo...
    Mas presunção e água benta, obviamente, cada um toma a que quer e nesta onda de euforia, a gente dá um descontozinho.

    ResponderEliminar
  7. Chato! Deixa-nos gozar o momento, pah. Se fosse ao contrário, queria ver como falarias num momento de absoluta euforia... :P

    ResponderEliminar

Olha, apetece-me moderar outra vez! Rais' partam lá isto!

P.S.: Não sou responsável por aquelas letrinhas e números enfadonhos que pedem aos robots que cá vêem ler-nos.