quinta-feira, 22 de agosto de 2013

Um brinquedito, era o que era

Não consigo perceber. Tinha que ler sobre história de França, Absolutismo, século XVII e sobre a personalidade de Luis XIV para perceber porquê. 

Enquanto por lá andávamos, eu procurava palavras para descrever o que via mas "megalomania", "megalómano" e "megalomaníaco" pareciam-me claramente insuficientes perante a grandeza e o esplendor da decoração, perante o engenho necessário para mandar construir jardins e bosques geometricamente dispostos ao milímetro, com as centenas de estátuas que por lá abundam. Um dia inteiro a passear pelo interior do palácio, pelos jardins, pela humilde casinha da rainha, a ver dezenas de quadros gigantescos, a olhar para os tectos, a sentir-me estupefacta e maravilhada perante os doirados, os rosas, as talhas, os longos e largos corredores, a sentir-me pequenina numa pequena área de quilómetros num mundo do passado, a imaginar mulheres e homens com vestes estranhíssimas, perucas peculiares, passeando languidamente pelos mesmos sítios que eu e a praga dos japoneses, a tirar fotos a todos os detalhes que me marcaram, a dar milhares de passos para cima e a para baixo enquanto observava as provas de alguns momentos gloriosos da História francesa, a sentir as pernas a irem abaixo já no final da tarde...e chegar ao fim dum dia riquíssimo de memórias e emoções, com a sensação de que muito mais ficou por ver e fotografar e que gostaria de lá voltar.
Ainda durante a manhã, ocorreu-me que organizar um peddy-paper no Palácio de Versalhes seria algo inesquecível e coisa para durar uns belos 2 ou 3 dias. Eu alinhava!

10 comentários:

  1. Não sendo possivel o peddy-paper no Palácio de Versalhes porque é que não pensas numa alternativa mais exequivel? Santoinho por exemplo...

    ;)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Anónimo, a sugestão é aliciante, até porque nunca lá fui. Mas se quisesse participar num arraial, bastava eu não sair desta terrinha tão cedo. :)

      Eliminar

  2. Visitar Versailles está no meu imaginário...

    :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Bizinha, 'tás a ver aqueles palácios com princesas e tudo muito bonitinho? Pronto, este não tem nada a ver :)

      Eliminar
  3. O Palácio é muito bonito e tem salas maravilhosas, mas o assombro de Versailles são os seus imensos e grandiosos jardins.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ricardo, concordo plenamente. Num dia sem chuviscos, é obrigatório andar nos lagos. Excelente sítio para se fazer caminhadas. Apeteceu-me rebolar e namorar debaixo daquelas árvores, mas o tempo urgia...Um dia não chega :)

      Eliminar
  4. Os jardins sao imensos e belos porque Versailles nao tem casas de banho, a modos que os muitos convivas de alta nobreza adubaram os reais canteiros por muitos e bons anos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pusinkito, agora tive uma imagem algo escatológica dos nobres e da realeza a levantarem aquelas saias compridas e a retirarem as ceroulas, com as pernas abertas, a adubarem o jardim...ai rapariga!

      Eliminar
    2. Lamento o realismo da imagem mental mas a nobreza di antigamente era tao porquinha como um mendigo dos jossos dias. E, nao havendo wc.... Devia ficar um real cheirete. Ahhhh os nossos dias tem duas enormes vantagens: higiene e tecnologia. Eles tem decoracao e roupa... Nao em todas as epocas ou cortes mas designs belissimos em muitos casos :-) ainda assim seculo xxi com todos os defeitos. Amén

      Eliminar
    3. Sim, sim, concordo plenamente. Não trocava de época. Pena ainda não terem inventado uma máquina do tempo, com bilhetes de ida e volta :)
      Estar ali leva-nos a questionar como seria o dia-a-dia de uma minoria e o da restante maioria...

      Eliminar

Olha, apetece-me moderar outra vez! Rais' partam lá isto!

P.S.: Não sou responsável por aquelas letrinhas e números enfadonhos que pedem aos robots que cá vêem ler-nos.