terça-feira, 4 de setembro de 2012

Camilla Läckberg e A Princesa De Gelo


Sueca de nome e origem, é quem tem estado na mesinha de cabeceira, à espera de ser devorada com todas as letras! Estes policiais suecos dão cabo das minhas noites!

10 comentários:

  1. Ui ui! Vai já para a lista1

    ResponderEliminar
  2. Chata, é quase tão empolgante quanto a Trilogia. Sou menina para comprar outro da mocinha só para ver se a receita muda. :)

    ResponderEliminar
  3. A primeira frase é estupenda. Só retirava as palavras finais: "com todas as letras". ;)

    (Pronto... parvoíces de lado: Estas escritoras suecas é que davam cabo das minhas noites).

    (Agora é que é: Já li e é intrincada o suficiente para me prender. Falo da literatura e não da escritora. ;)

    ResponderEliminar
  4. Patife lindo, a minha faceta de lésbica não está tão desenvolvida quanto a tua :P

    Mas é uma leitura agradável, leve q.b. e ao mesmo tempo e algo viciante :)

    ResponderEliminar
  5. Tenho de concordar com o Patife...

    ResponderEliminar
  6. Catsone, não fosses tu homem :P

    ResponderEliminar
  7. Nunca li policiais suecos. Qual me recomendas para começar?

    ResponderEliminar
  8. Pusinko, eu só li 4: este e a Trilogia da miúda maluca, que adorei, devorei e chorei por mais. Esta trilogia é mais pesadota do que o livro agora publicitado, por isso recomendo-a! :)

    ResponderEliminar
  9. Então iniciarei pela trilogia. Vou comprar no Natal. Até lá, não posso agarrar-me a leituras viciantes, sob pena de me tornar menos eficiente no trabalho (quase não durmo até acabar um livro que me agarre)
    Natalinho, here I go!

    ResponderEliminar
  10. Pusinko, desejo-te boa sorte a resistires a tal compra. A minha amiga que os leu em alemão, também de rajada, disse que a versão alemã continha cenas, situações, nuances que faltavam à edição portuguesa. Fico à espera que confirmes.

    ResponderEliminar

Olha, apetece-me moderar outra vez! Rais' partam lá isto!

P.S.: Não sou responsável por aquelas letrinhas e números enfadonhos que pedem aos robots que cá vêem ler-nos.