segunda-feira, 3 de setembro de 2012

As sardinhas ou do fascínio delas - para o Riquinho

Brilhantes, frescas e bem assadas,
Salgadinhas e esturricadas,
Batem aos pontos as ostras,
Não interessam as amostras.

Comidas e degustadas à mão
Ou de faca e garfo, como eu faço,
São iguaria para um lambão
E prelúdio de um grande abraço.

Da cabeça ao rabo,
Depeladas com cuidado,
Para os lombos não estragar 
E a cabeça bem chuchar.

Batatinhas e pimentos
Servem de acompanhamento.
Em noites quentes de verão
Não há melhor para o coração.

2 comentários:

  1. Gabo-te a verve e a métrica, mas se há coisa que dispenso é um abraço de alguém que teve a comer sardinhas... mesmo de faca e garfo :-P

    ResponderEliminar
  2. Eu também não to dava, pah! A dar alguma coisa seria apenas um beijo bem repenicado nessas tuas bochechas! E tens sorte em eu não usar bâton ou baton ou lá como se escreve :P

    ResponderEliminar

Olha, apetece-me moderar outra vez! Rais' partam lá isto!

P.S.: Não sou responsável por aquelas letrinhas e números enfadonhos que pedem aos robots que cá vêem ler-nos.