domingo, 24 de junho de 2012

E agora algo realmente importante que o puto perguntou ao almoço

Será que vamos ver o Eusébio ao vivo a entregar a respectiva Taça no dia 27 do próximo mês? Lá vou ter que usar um adereço desportivo a propósito da ocasião! E usar tampões nos ouvidos! E não esquecer de levar a máquina, desta vez. Nunca se sabe quando é que o CR decidirá abordar uma pessoa como a JE! No dia seguinte, está planeada uma visita ao outro Eusébio e a outro tipo de animais, mais genuínos.

5 comentários:

  1. Tens de trocar essa do teu miúdo por miúdos.

    Achei curiosa uma coincidência... é que há pouco nas notícias, quando ouvi sobre a indisposição do Eusébio, lembrei-me do outro Eusébio, lá no Oceanário de Lisboa, e da Amália.
    Passados estesanos todos... será que os bichinhos ainda são vivos??
    Naaaaaaaaaa...

    ResponderEliminar
  2. Lol, até parece que o Eusébio dura até lá :-P

    ResponderEliminar
  3. Estou pasma...
    Fui investigar e segundo um artigo que li as lontras marinhas têm uma vida média de cerca de oito anos. Depois procurei notícias sobre as lontras do Oceanário de Lisboa e descobri que o macho Eusébio morreu em 2010, de velhice, com 20 anos!!
    "Chiça penico"!! Acho que vou começar a comer camarão umas poucas de vezes por dia como as lontras comem...
    (ok, acho melhor não... conheces a expressão "comer como uma lontra", não conheces??? Pois!!)

    :))

    ResponderEliminar
  4. Orquídea, estás a dar-me uma novidade triste, bolas! E a Amália também já morreu?
    (Se conheço!!)

    Riquinho, pois, essa foi mesmo a questão do dia! Então vamos nós à capital por 3 dias e não o vamos poder ver?? Nem um nem outro?? Azar!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não encontrei nada que o referisse.
      Mas sei que em 2010 ficou, por assim dizer, viúva do seu companheiro.

      http://www.dn.pt/inicio/portugal/interior.aspx?content_id=1672805&seccao=Sul

      Eliminar

Olha, apetece-me moderar outra vez! Rais' partam lá isto!

P.S.: Não sou responsável por aquelas letrinhas e números enfadonhos que pedem aos robots que cá vêem ler-nos.