quarta-feira, 6 de junho de 2012

Desfiles diários ou devaneios meus?

É sabido que nós, mulheres, temos olho para as outras mulheres e eu não sou excepção. E com isto quero eu dizer que, discretamente a maior parte das vezes, ao contrário dos homens, miramos as nossas congéneres de alto a baixo e de baixo a alto. Possivelmente a mirada até pressente que está a ser mirada, mas não reage...exteriormente. 
Isto tudo porque na minha escola actual, há desfiles diários de vestimentas super giras, supéééééé fashion e eu faço parte das que miram, não das miradas. E quando as miro, ou melhor, quando aprecio a mesma mulher de alto a baixo e de baixo a alto, dias a fio, penso para mim mesma "onde raio é que ela arranja tempo e dinheiro para vestir peças diferentes todos os dias? quando é que ela vai às compras? será que vai todos os fins-de-semana? será que conhece lojistas que lhe pagam para ela andar a passarinhar os modelitos?" E quem fala duma mulher, fala à vontadinha de mais de uma dúzia que desfilam pelos corredores nos seus saltos e chanatas da moda.
É que eu acho que não é só uma questão de bom gosto e de saber condizer uma peça com este ou aquele acessório. A verdade é que por lá há espécimes femininos que não repetem as peças e eu invejo-as, o que é uma coisa muito feia, como sabemos, porque parecem ter tempo para tudo e mais alguma coisa e nada fica por comprar, pelos vistos!
No outro dia abordei uma destas modelos escolares, com quem já tenho alguma confiança e, ousadamente, elogiei-lhe a albarda do dia: um vestidinho preto, curto e rodado que lhe assentava que nem uma luva, que ela fez acompanhar duns sapatos pretos todos catitas. Enquanto ela me perguntava em sussurro se não parecia estar ridícula - ela parecia-se com uma bonequinha linda - e agradecia os elogios, dei por mim a pensar "será que ela pensa que lhe estou a bater um coiro ou que sou lésbica?" Felizmente fui salva pelo toque e ala que se fazia tarde. Mas caramba, aquela cidade é mesmo uma cidade de aparências!

12 comentários:

  1. Eu batia-lhe um coro.... Vestidinho preto? Sou fã.
    Bis ffs.

    Ass: The One

    ResponderEliminar
  2. Não será cada escola portuguesa portadora de senhoras féchion? E assim no resto do mundo?
    Faz parte da fauna do mundo do trabalho.

    ResponderEliminar
  3. Pusinko, 16 anos = 10 escolas diferentes. As escolas citadinas são-no, as dos subúrbios nem por isso; pelo menos aquelas por onde passei não tinham tantas "modelos" :)

    ResponderEliminar
  4. Ok... fiquei deprimida...
    Às vezes, mas confesso em surdina que é mesmo só às vezes, gostava de "ser mais gaja"!!
    Eu ligo tão pouco a essas futilidades que até me chego a sentir uma ave rara por nunca saber o que está na moda!

    Shame on you... mas tens inveja porquê?
    Todos somos diferentes mas acho que nem eu nem tu temos pachorra para sermos "fashion victims"!

    ResponderEliminar
  5. Inveja do tempo e do dinheiro que elas parecem ter para ficarem tão giras:)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ora ora... gira já tu és... e de certeza que investes o teu dinheirinho em algo de mais valor!!

      Eliminar
  6. Lá isso é verdade! A propósito, lês o Shiuuu, como eu. Leste aquele daquela miúda que gastou mais de 100 euros numa carteira? Eh pah, até a mim me custou ler sobre aquele desperdício!

    (e obrigada :P)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não, eu só vou ao "Shiuuu" quando alguém comenta algo a propósito e para poder contextualizar aquilo do que falam.
      Mais de 100 euros numa carteira? Acho que agora é que fiquei mesmo deprimida!

      :(

      Eliminar
  7. Eu também não ligo nenhuma a tratar da aparência, de tal forma que uma vez a senhora que me faz a depilação disse:
    -É tão bom termos um tempinho para tratarmos de nós, não é?
    Ao que respondi:
    -Não, sinceramente preferia estar a fazer outra coisa qualquer. Não tenho grande paciência para estas coisas!
    Bjs

    ResponderEliminar
  8. Mammy, também já ouvi comentários do génro, precisamente duma esteticista que já foi minha durante muitos anos, quando ela me tratava das virilhas, que, na altura, estavam em bastante mau estado, if you know what I mean... :)
    As duas horas e tal que passo na cabeleireira, por mês, são um autêntico suplício, que atenuo com a leitura das revistas cor-de-rosa. Frete mesmo.

    ResponderEliminar
  9. Eu também detesto estar na cabeleireira. Nem sequer consigo cortar e pintar o cabelo no mesmo dia, porque perco a paciência entretanto.
    E pensar que um dia achei que podia fazer uns trabalhinhos como manequim... Grandes secas que me esperavam!
    Bjs

    ResponderEliminar
  10. Mammy, ainda não descobri qual a tua profissão, mas de certezinha que é bem melhor do que aquela a que um dia aspiravas. :)

    ResponderEliminar

Olha, apetece-me moderar outra vez! Rais' partam lá isto!

P.S.: Não sou responsável por aquelas letrinhas e números enfadonhos que pedem aos robots que cá vêem ler-nos.