quarta-feira, 27 de junho de 2012

Aula marcada antes de se saber que Portugal iria à semi-final

Deve ter havido algum jogo de futebol importante entre as 16:20 e as 17:50, pois não tive qualquer discente na sala onde, há menos de 2 semanas, foi marcada a aula para hoje. Até estou curiosa para, amanhã às 8:25, ouvir as razões deles. Isto se Portugal perder hoje, pois se ganhar, prevejo não ter alunos tão cedo.

8 comentários:

  1. A mim aconteceu-me pior.
    Dirigi-me ao Pingo Doce daqui da beira da porta faltavam uns minutos para as 20h e bati com o nariz na porta. Lá havia um letreiro a dizer que excecionalmente fechavam mais cedo para os funcionários poderem ir apoiar a Seleção!

    Numa superfície comercial que tem as suas portas abertas no dia mais emblemático para os trabalhadores, depois vêm-se episódios destes!
    Se eu não tivesse um "plano B" para o jantar, bem que hoje ficava sem comer!

    ResponderEliminar
  2. E já agora, não querendo ser cusca, mas sendo-o, qual foi o Plano B?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Uma saladinha russa para aproveitar o que havia por casa!
      Por acaso estava bem boa!!

      :)

      Eliminar
  3. Também gosto:)

    Olha, amanhã tenho-os a todos na 1ª aula :(

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Infelizmente! Antes tivessem ido todos festejar até tarde para terem mais motivos para faltar de novo!!

      É a vida!

      Beijinho triste

      Eliminar
  4. É! Até os trucidava se voltassem a faltar, sabes?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Acredito... mas eu preferia vê-los trucidados... ou tua a engolires mais um sapo... hehehe

      Eliminar
  5. Eu não engoliria nenhum sapo. Não seria eu a faltar ao dever e caso faltassem teria muito com que ocupar esses 90 minutos livres, por isso, o mal não seria para mim. Não sou eu que deixo de ter um diploma de 12ºano por faltar às aulas. :)

    ResponderEliminar

Olha, apetece-me moderar outra vez! Rais' partam lá isto!

P.S.: Não sou responsável por aquelas letrinhas e números enfadonhos que pedem aos robots que cá vêem ler-nos.