terça-feira, 21 de fevereiro de 2012

Irritações - II

O carnaval. Desde pequenita.

12 comentários:

  1. Eu idem. Detestava aquilo, em particular não conseguir distinguir a cara das pessoas... e as pelongas nas pernas dos gajos vestidos de gaja.

    Blagha.

    ResponderEliminar
  2. Ó mulher... o carnaval não é para levar a mal...

    Já gostei do carnaval... agora só por razões gastronómicas o festejo!! :))

    ResponderEliminar
  3. Olha, uma irritação em que estamos de acordo :) Não obstante a minha fantasia recente de Jack Sparrow ter causado alguma admiração no seio de algumas convivas folionas. Mas foi causas nobres.

    Não obstante, confesso que certos bailes de máscaras em contexto medieval naquela localidade onde se entra em casa por via marítima fossem coisa para ter a sua piada.

    ResponderEliminar
  4. Riquinho, eu detestava ser obrigada a desfilar perante dezenas de aldeões e aldeãs, mas a minha mãe fazia questão. Eu sempre fui uma miúda tímida, ao contrário de hoje. De qualquer maneira, não me lembro de, enquanto adulto, ter festejado a data.

    Orquídea, não levo a mal nem a bem; por mim é uma data que poderia desaparecer do mapa.

    Ness, mais uma vez o teu complicómetro a funcionar. Então escrever "Veneza" não era muito mais simples? :) As máscaras e indumentárias de lá são qualquer coisa, realmente...

    ResponderEliminar
  5. Pseudo, se há coisa que o estudo aprofundado da mente feminina ao longo de mais de três décadas, isto se me esquecer de que já gostava do tema ainda sem perceber muito bem para que serviria, me ensinou, é que usar o complicómetro na linguagem pode ser mais eficaz do que ter o corpinho daquele tatuado ali em baixo :P No meu caso, acredita que compensa.

    ResponderEliminar
  6. Ai tu usas essa linguagem rebuscada para impressionar as meninas?? Eu pensava que era porque és mesmo assim :P

    ResponderEliminar
  7. O parvanal serve apenas para que os homens soltem a sua paneleirice durante algumas horas e as mulheres a sua fantasia de serem a gisela bunda.

    ResponderEliminar
  8. Sim, sou, mas como resultado de :P

    ResponderEliminar
  9. Eu também detesto o carnaval!
    Blhac!

    ResponderEliminar
  10. Pseudo,
    E já não era tempo de ultrapassares esse trauma?

    Gosto do Caranval, nunca me vesti de gaja (nem espero vir a fazê-lo), e tenho sempre a cara à vista...

    Este ano o tema do meu Caranval foi essa cidade em que se anda de barco, no Adriático e que aqui foi perfeitamente descrita.

    ResponderEliminar
  11. Tio, trauma? Acho a palavra demasiado forte. Naquela altura não gostava pelas razões apresentadas, hoje não gosto porque não interessante nem disfarçar-me nem observar outros disfarçados. Acredita que ando disfarçada parte das minhas 24 horas, já me basta.

    ResponderEliminar
  12. Pesudo,
    Não era para levar à letra! Estava a brincar...
    ;-)

    Em miúdo também não gostava muito do Carnaval, nem dos palhaços. Confesso que continuo sem gostar de alguns palhaços...

    ResponderEliminar

Olha, apetece-me moderar outra vez! Rais' partam lá isto!

P.S.: Não sou responsável por aquelas letrinhas e números enfadonhos que pedem aos robots que cá vêem ler-nos.