domingo, 4 de setembro de 2011

Questões que me ocorreram sentada na sanita

  • Quantos metros de papel higiénico gasta uma pessoa desde o nascimento até à sua morte?
  • O gasto depende do género da pessoa?
  • Depende da sua localização geográfica?
  • Há papel higiénico reciclável?
  • Quem inventou o papel higiénico? E quando?
  • O papel higiénico colorido é mais agradável ao toque? Causará alergias e/ou irritações no rabiosque?
  • Quantas árvores são precisas abater para fazer uma embalagem de doze rolos, de folha tripla?
Nestes tempos de crise económica, há que pensar nisto tudo e em maneiras de o poupar, n'é verdade?

7 comentários:

  1. Querida Pseudo, olha que questões pertinentes!! Sei responder a uma: há papel higiénico reciclado, sim, ;)

    ResponderEliminar
  2. As coisas que podem passar na cabeça de uma pessoa quando está no WC não é verdade?

    ResponderEliminar
  3. Você sabia que o papel branco também é "colorido" ? Quero dizer, que a cor natural do papel virgem não é de cor branca, o branco é uma cor a ser atingida como o amarelo, preto e outras. E sobe o ponto de vista ambiental, se gasta muito mais produtos quimicos para se chegar na cor branca. A cor do papel branco é uma tinta como outra cor e ainda possui mais produtos quimicos do que o preto por exemplo...

    ResponderEliminar
  4. Da localização geográfica? Porquê? O papel não dá grande jeito para aquecer o dito, não precisarás de mais em terras frias, digo eu :)

    ResponderEliminar
  5. Meu caro Ness, talvez eu seja preconceituosa, mas presumo que na Somália bens que NÓS tomamos como garantidos, como o papel higiénico, não abundem por lá. Daí o factor "localização geográfica": :)

    ResponderEliminar
  6. Manuela, vende-se em qualquer hipermercado?

    Diuska, se tu soubesses o que me passa pela cabeça...

    Anónimo, por acaso acho que já tinha lido qualquer coisa sobre isso, sim.

    ResponderEliminar
  7. para além do colorido, com cores garridas ou preto, já vi com outros motivos...Talvez uma cor para cada tipo de uso. a escolha depende das motivações, dos benefícios esperados....Analiso o comportamento dos consumidores, não julgo.
    Pessoalmente prefiro os produtos menos agressivos para o ambiente, mas que não sejam mais caros por causa dessa "etiqueta" que também é de moda.

    ResponderEliminar

Olha, apetece-me moderar outra vez! Rais' partam lá isto!

P.S.: Não sou responsável por aquelas letrinhas e números enfadonhos que pedem aos robots que cá vêem ler-nos.