sexta-feira, 5 de agosto de 2011

Alguém me explique se faz favor

Eu gosto de ler blogues familiares, onde é claro que pelo menos quem o escreve está de bem com a vida. Eu gosto de ver as fotografias de família partilhadas nesses blogues. Inclusivé as fotos das crianças, de perfil, de cú, de costas, a fazer o pino...seja de que maneira for. Contudo, eu reservo-me o direito de aqui nunca partilhar fotos da minha família e muito menos da minha criança. Todo o cuidado é pouco, eu continuo a gostar de ser anónima na net (pelo menos, penso que o sou) e se alguma vez partilhasse fotos pessoais, seriam apenas de mim e que não identificassem quem está a escrever isto.
Posto isto, faz-me alguma confusão que quem opta por partilhar fotos da família mais próxima, nos seus blogues, o faça tentando encobrir a cara de quem quer que seja. Porque é que encobrem a cara quando tantas e tantas fotos, tantas e tantas poses, tantos e tantos lugares e situações identificam perfeitamente as pessoas retratadas? Sim, estou a pensar NUM blogue em particular, que gosto muito de ler e ver. É o meu lado voyeurista a funcionar. Não conheço as pessoas retratadas, mas cada vez que olho para essas fotos desfocadas, ocorre-me a dúvida.

3 comentários:

  1. Nunca na vida o faria e aliás quando conto algo no meu blogue utilizo locais e nomes diferentes. ;)

    ResponderEliminar
  2. Estou como tu... Mas essa sugestão das fotografias de frente e de cu, pode levar a ideias perigosas.

    ResponderEliminar
  3. Di, fazes tu muito bem, não vá o diabo tecê-las.
    Eu já tive dissabores que cheguem à conta do blogue há cerca de 5 anos. Agora penso mesmo duas vezes antes de escrever certas coisas. Outras vezes, é mesmo o que sai na hora, preservando (quase) sempre a minha intimidade e anonimato.

    Tio, que raio andas tu a pensar?? (não me esqueci de ti, apenas ainda não chegou a altura certa :))

    ResponderEliminar

Olha, apetece-me moderar outra vez! Rais' partam lá isto!

P.S.: Não sou responsável por aquelas letrinhas e números enfadonhos que pedem aos robots que cá vêem ler-nos.