sábado, 30 de julho de 2011

Uma das minhas prendas de anos e o meu mês ainda não chegou

Mas está quase, falta um dia.
E já cá canta o volume 3 da saga "Millenium" que me viciou enquanto lia o primeiro, prenda antecipada de anos do mais-que-tudo. Agora que estou no segundo e ainda antes de ter alcançado a centésima página, sinto-me totalmente viciada na personagem feminina Lisbeth Salander, uma jovem atípica, com uma inteligência invulgar, com memória fotográfica, com uma capacidade inata de brincar com os computadores e descobrir segredos, com um aspecto físico trinca-espinhas tatuada, absolutamente anti-social, fechada na sua redoma emocional, fisicamente cruel com quem a tenta espezinhar e desconfiada da maior parte daqueles e daquelas que dela se aproximam. Descrição muito aquém daquilo que ela É nas setecentas e tal páginas lidas. É ler para crer. Aconselho vivamente. Obrigada pela sugestão de há alguns meses, sacana.

7 comentários:

  1. Também já me ofereceram o primeiro livro há um ano atrás (ou coisa assim), aindo o comecei a ler mas nnca cheguei a acabar... Vou esperar para ver os filmes (ambas as versões) e depois talvez volte a tentar...

    ;oD

    ResponderEliminar
  2. NÂOOOOOOOOOO, ALterEgo. Não faças isso. Insiste nos livros e só depois o filme. Não sejas preguiçoso :)

    ResponderEliminar
  3. Não é uma questão de preguiça... é que o livro não me puxou a continuar a ler.

    Até cheguei a ler para trás!! Tipo começava a ler e ao fim de uma página já estava a dormir e depois no dia seguinte tinha de recuar duas páginas para apanhar o fio à meada da história... Ou seja, recuava duas páginas e só avançava uma!!!

    ResponderEliminar
  4. AlterEgo, façamos assim: sugere aí livros que gostaste de ler, pode ser? E porquê, já agora. Nada de receitas de cozinha, sff :P

    ResponderEliminar
  5. Pseudo, além de não ler muito (o mundo digital é mais forte!), receio que as minhas sugestões não sejam assim muito interessantes para a maioria das pessoas...

    O género que eu leio mais é ficção científica...

    Um dos últimos foi "1984" que, por razões que não vale a pena explicar, fez com que eu deixasse de fumar.

    "Blade Runner" também é um dos meus favoritos (já para não falar no filme e na banda sonora).

    De resto leio o que me vem parar às mãos, mas não há assim mais nada que me lembre que justifique mencionar por agora.

    ResponderEliminar
  6. AlterEgo, um dia explicas porque é que o G. O. e o seu "1984" ajudou a quem deixasses de fumar, pode ser? :)

    ResponderEliminar
  7. Foi só uma frase da personagem principal que, lida na altura certa, fez com que a determinação fosse maior que o vício, coisa que até essa altura ainda não tinha acontecido noutras tentativas fracassadas.

    É daquelas coisas que funcionam connosco, num determinado momento, e que se calhar para outra pessoa não diz absolutamente nada. Ou se calhar se fosse agora até ser-me-ia indiferente.

    Se entretanto encontrar a frase eu escrevo-a aqui, já andei há procura mas não dei com ela...

    ResponderEliminar

Olha, apetece-me moderar outra vez! Rais' partam lá isto!

P.S.: Não sou responsável por aquelas letrinhas e números enfadonhos que pedem aos robots que cá vêem ler-nos.