quinta-feira, 28 de julho de 2011

Segredos - III

Quando regressava da escola a pé, gostava de tocar à campaínha das portas e pôr-me na alheta e só parar num sítio onde, escondida, pudesse ver quem abriria a porta.

8 comentários:

  1. Sempre me pareceste bon vivant, embora educadinha no tédio.

    ResponderEliminar
  2. Quem não gostava?! Era uma sensação maravilhosa!

    ResponderEliminar
  3. ML, há segredos que não são para desvendar ao público. Todos nós temos desses. :)Um dia publico um daqueles escabrosos só para ti :P

    Julie, isso e atirar pedrinhas nas portas dos outros..hehe

    ResponderEliminar
  4. Opá, isso como segredo 'tá muito fatela... Até como partida deixa muito a desejar...

    Chiça, anda um gajo a gastar clicks no rato para isto...

    Como diria o Homer: Boooooooooring!!!

    Ahhhhhh... E agora vê lá se te pôes com cenas a respeito da minha vida sexual como aquela outra lá de cima, com o nome esquisito...

    ResponderEliminar
  5. Ahahah, essa da campainha, quem é que nunca fez ?!

    ResponderEliminar
  6. Oh AlterEgo, a ideia é eu contar um e vocês contarem outro. Como é??

    Maria, então, de que estás à espera? :)

    ResponderEliminar
  7. Como é digo eu!!!

    Deixa lá as campainhas, queremos é coisas mais sumarentas!!!

    ;oD

    ResponderEliminar
  8. AlterEgo, prometo-te que o próximo é sumarento q.b. Pelo menos, para mim foi :P

    ResponderEliminar

Olha, apetece-me moderar outra vez! Rais' partam lá isto!

P.S.: Não sou responsável por aquelas letrinhas e números enfadonhos que pedem aos robots que cá vêem ler-nos.