terça-feira, 12 de julho de 2011

Balanço: assim sim!

Preciso de uma pausa.

Após um dia muito bem passado na companhia de pessoas que continuo a gostar de conhecer e num local que um dia desejei ter para mim e para os meus, foquei, finalmente, por volta das 17:30 e até agora, toda a minha atenção e concentracção no "monstro" cujo prazo de entrega se aproxima a passos largos.
Sou perita, como muitas pessoas, em inventar desculpas que só servem para adiar o que tem de ser feito. A isto chama-se "procrastinação". O meu amigo Ness considera que esta é uma característica genética lusa. Eu concordo plenamente. Eu sou um exemplo típico.
Eu procrastinei durante as duas últimas semanas e o sentimento de culpa aumentava à medida que o tempo passava, apesar de me ter mantido ocupada, bem ocupada, considero eu, mas nem sempre profissionalmente ocupada.
Neste momento, sinto-me satisfeita com o que consegui produzir até agora, mais aliviada e menos culpada. Amanhã há mais do mesmo.

5 comentários:

  1. Sabe bem ver os resultados depois não sabe?

    ResponderEliminar
  2. Não sei se hei-de deixar um comentário ou se hei-de proscrastinar.

    ResponderEliminar
  3. O da genética lusa13/07/11, 14:54

    Também digo que o que tem que ser, tem muita força, por isso toca a dar-lhe.

    Até porque o final é sempre uma boa ocasião para mais um dia bem passado :P

    ResponderEliminar
  4. Tb eu sou uma frequente Porcratinadora!!!!

    Nos trabalhos da faculdade, nos trabalhos do trabalho, nas lides domésticas...

    Mas acho que é porque eu só sei produzir bem em cima do acontecimento. Quando falta muito tempo as coisas parece que não fluem...

    às vezes... lixo-me!
    :-)

    ResponderEliminar
  5. Utena, muito bem. Neste caso específico ainda me falta bastante para chegar ao fim, apesar de ver o prazo encurtar. Sexta-feira já estarei mais leve :)

    Constantino, a tua 1ª opção deixou-me, como sempre, um sorriso nos lábios. :)

    Ness, seu interesseiro :P....Hoje ainda não toquei no "monstro", mas não perde pela demora. Café Delta 10 tem-me ajudado. Bendito Barclays!

    Teresa, sou exactamente assim: a pressão do tempo é o meu melhor motor. No contecto profissional, nunca correu mal. Já nas lides domésticas, o monte de roupa para passar aumenta diariamente, mas nunca ninguém saiu nú desta casa. :)

    ResponderEliminar

Olha, apetece-me moderar outra vez! Rais' partam lá isto!

P.S.: Não sou responsável por aquelas letrinhas e números enfadonhos que pedem aos robots que cá vêem ler-nos.