quinta-feira, 28 de fevereiro de 2008

O Manel morreu

Após um mês neste lar, na companhia da Elisa, o Manel não se adaptou às novas condições de vida, proporcionadas desde sábado passado por um aquário novinho em folha, com recifes, tubarões, a habitual flora aquática e bolhas, muitas bolhas. O seu estado foi-se degradando a olhos vistos, até que hoje de manhã estabelecemos a hora oficial da sua morte: algures entre as 11 da noite de ontem e as 7:30 da manhã de hoje. A Elisa anda tristíssima, de volta do Manel; toca-lhe, afaga-o, dá-lhe mimo. Tenho rapidamente que lhe arranjar outra companhia viva.

O que se faz a um peixe morto? Colocá-lo na sanita está fora de questão, visto ir directo aos esgotos; enterrá-lo também não me parece ser o ideal; pô-lo no lixo nem pensar!!
Aceito sugestões.

7 comentários:

  1. Picadora 1,2,3, maionese, um pouco de alho e uma folhinha de salsa. Servir em tostas.

    Haverá um sentimento quase religioso - ou, no mínimo, uma gastroenterite.

    ResponderEliminar
  2. IG: coitadinho do bicharoco.... bem o meu gato não come peixe - nem vivo nem morto... sugestão: atira-o ao mar.... a um lago... ao Rio Este...ao Águeda....

    ResponderEliminar
  3. Olha, os meus vão direitinhos para a sanita, por muito pouco humano que isto possa parecer!

    ResponderEliminar
  4. um alternativo ,deixa-o empalhar,parece muito distinte por cima a lareira .
    cumprimentos de http://blog.seniorennet.be/lisboa

    ResponderEliminar
  5. Já que a sanita e um aproveitamento culinário parecem fora de questão, proponho ainda tentar cremá-lo no forno e lançar as cinzas da varanda!

    ResponderEliminar

Olha, apetece-me moderar outra vez! Rais' partam lá isto!

P.S.: Não sou responsável por aquelas letrinhas e números enfadonhos que pedem aos robots que cá vêem ler-nos.