terça-feira, 30 de maio de 2006

Conversas de corredor

Deputado 1: Zé! Há quanto tempo! Estás bom, rapaz?
Deputado 2: Olá Paulo! Vai-se andando. Estava no meu gabinete a trabalhar numa moção contra o governo, mas o ar condicionado avariou-se...sabes como é...vem-se até ao corredor para refrescar um pouco. Então e tu? Que tens feito?
Deputado 1: Olha, nada demais. Estou com o mesmo problema, relativamente ao ar condicionado. Desde o início da manhã que não consigo fazer nada, devido a este calor infernal, que está para durar. Assim como assim, tenho andado a trocar ideias com os nossos colegas parlamentares que vou encontrando por aí...
Deputado 2: E então? Que contam eles? Como só agora pude sair do meu cantinho, não estou a par das últimas...só papelada, só papelada!
Deputado 1: Parece que surgiu aí uma ideia de se mandar colocar 2 ecrãns gigantes no Plenário, de modo a que possamos ver a bola, aquando do Mundial. Que é que achas?
Deputado 2: Isso é que era uma grande ideia! Ainda mais que a TvCabo anda a brincar com o pessoal. Ainda bem que eu nunca aderi lá em casa. Arranjei um descodificador através de um amigo meu que...
Deputado 1: Shhhhhhhhh...olha que estas paredes têm ouvidos! Mas continuando...não te opões à ideia então?
Deputado 2: Claro que não, nem podia! Sempre é bem melhor que passar o início da tarde a ler os matutinos a dizerem mal de tudo e todos e de como a vida está cara. Se eles soubessem o que é passar um dia encafuado dentro destas 4 paredes sem ar condicionado, e ter que regressar ao mesmo no dia seguinte, ou ter que ir de viagem ao estrangeiro, subitamente, sem ter tempo de avisar sequer a família...
Deputado 1: Tens razão, tens razão. Só quem está cá dentro é que sabe...Ok, então se o assunto for a votação podemos contar com o teu voto e da maioria do teu partido?
Deputado 2: Claro, claro. Eu falo com os meus colegas. Nada como iniciar o verão a ver a quarta vitória consecutiva dos nossos jogadores em terras de boa cerveja, futebol e loiras. Quem me dera a mim poder ir...e olha que...ainda não marquei as minhas primeiras férias do ano. Logo já vou dar a novidade à família!
Deputado 1: Ok, então sendo assim, vou dar a boa nova ali ao Jaime. Ele encarregar-se-á de fazer passar a proposta no Plenário sem levantar muito alarido. 'Tás a ver, não é, se isto passasse cá para fora, a Comunicação Social fazia um forrobodó e olha a nossa imagem...
Deputado 2: Pois é, pois é...olha, eu vou andando. São quase 4 da tarde e não sei se ainda vou a tempo de contactar o técnico das avarias. Gostei de te ver. Cumprimentos à Rita.
Deputado 1: Serão dados. Até à próxima.
---
(notícia aqui)

3 comentários:

  1. Bem... vinha acrescentar uma coisa, mas agora tenho de sintetizar aqui umas quantas.

    1) Olá!!!!!!!!
    2)Também eu andei enganada... estava desconfiada (não sei porquê), que eras de ciências. Mas aposto que és de Português.
    3)Vida de deputado é muito complicada e cansativa, o que julgas? É como a outra que se intitulava a única com estatuto de "professora" enquanto nós só "fazíamos exercícios"; o curioso é que a "professora" estava sempre demasiado ocupada para dar aulas... (espera e vai lendo a saga...)
    4)Epah... eu tive um carro aos 18 anos (o mesmo que tenho agora aos... isso agora n interessa nada).
    5)Abraços!!!!
    6)Sim, de volta ao normal. Chateando-me com a situação de desemprego e amaldiçoando a nossa burocracia e incompetência dos funcionários públicos...

    ResponderEliminar
  2. mas... alguem trabalha em dias de jogo de portugal no mundial?!?

    ResponderEliminar
  3. eles deviam era ter vergonha. já não fazem nada nos outros dias, alem das pontes e tolerancias ...

    Papá urso: muita gente trabalha.
    se eu fosse dizer ao meu patrao que queria ver a bola, ele dizia-me " sim tá bem, já agora veja o resto do mundial em casa pois já não precisa de voltar"
    Pena o meu patrao não ser o estado, ou talvez não..

    ResponderEliminar

Olha, apetece-me moderar outra vez! Rais' partam lá isto!

P.S.: Não sou responsável por aquelas letrinhas e números enfadonhos que pedem aos robots que cá vêem ler-nos.